Champions: Atlético «ressuscita» no prolongamento e elimina campeão Liverpool em Anfield



«Colchoneros» venceram Liverpool, em Anfield, com três golos no prolongamento. João Félix fez uma assistência.


No futebol há vida até ao apito final. A linha entre sucesso e insucesso é muito ténue, e a (in)justiça não passa do dicionário para a vida real.

O Liverpool-Atlético é a prova de tudo isto: a equipa de Diego Simeone passou noventa minutos encostada às cordas, a procurar a fé nas luvas de Oblak, e durante todo esse tempo a eliminação pareceu inevitável. Só que no prolongamento «ressuscitou», e acabou por garantir o apuramento para os quartos de final da Liga dos Campeões.


Para tornar tudo ainda mais cruel para o Liverpool, o (ainda) campeão europeu ainda acabou por perder o jogo (2-3).

De «baixa» na primeira mão, João Félix voltou à «Champions» como titular e começou a mostrar serviço logo no primeiro minuto, com uma excelente abertura para Diego Costa, que atirou à malha lateral.

Foi apenas uma ilusão «colchonera», antes do confronto com a realidade. O Liverpool assumiu as rédeas do jogo e o Atlético agarrou-se a Oblak, que só na primeira parte fez três ou quatro defesas importantes.

Para além da iniciativa inaugural, criada por Félix e Diego, o Atlético só voltou a assustar de bola parada, na primeira metade, com um desvio de Felipe ao primeiro poste (18m).

A pressão do Liverpool, perante um adversário remetido aos últimos trinta metros, trouxe frutos mesmo à beira do intervalo: Oxlade-Chamberlain cruzou da direita e Wijnaldum apareceu na marca de penálti a empatar a eliminatória.


A segunda parte começou com mais uma defesa de Oblak (a remate de Oxlade-Chamberlain), e Diego Simeone decidiu trocar Diego Costa por Llorente. O avançado reagiu mal, mas o médio acabaria por assumir o estatuto de herói «colchonero».

Mas já lá vamos, que o Atlético até reagiu nesse momento, com dois remates de João Félix e uma tentativa de chapéu do meio-campo, de Saúl, mas depois o Liverpool voltou a pisar no acelerador.

Robertson acertou no ferro logo de seguida (66m) e Mané atirou por cima de bicicleta (84m), antes de Salah falhar também o alvo (86m).

O Atlético de Madrid ainda festejou um golo ao minuto 90+2, mas o lance foi anulado por posição irregular de Saúl.


O jogo seguiu mesmo para prolongamento, e o Liverpool até aumentou a vantagem logo ao minuto 94, com um golo de Roberto Firmino, mas o Atlético mostrou, uma vez mais, que tem sete vidas.

Marcos Llorente, que tinha substituído o irritado Diego Costa, conseguiu um«bis» no prolongamento, com dois remates de fora da área (95 e 105m). O primeiro assistido por João Félix, que recolheu um mau alívio do guarda-redes contrário.

A eliminatória estava na mão, mas o cinismo do Atlético foi ao ponto de vencer o encontro de Anfield, graças a um golo de Morata (120m).

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem