Maxaquene dá cambalhota e vence Liga que acaba com Terroso - Confira




O Maxaquene recebeu e derrotou a Liga Desportiva de Maputo por 2-1, em jogo a contar para a décima jornada do Moçambola em que os pupilos de Amide Tarmamade desperdiçaram muitas oportunidades para chegar a uma vitória com números vistosos. A Liga esteve muito apática e acabou com o seu treinador Nilton Terroso expulso após troca de palavras azedas com o árbitro Arlindo Silvano que não hesitou em mandar o luso-canadense para as bancadas.


Logo no início da contenda o Maxaquene entrou a dominar, aparecendo mais vezes no último terço do seu ataque à procura do golo inaugural.

Aos 14 minutos os “tricolores” deram o primeiro sinal de perigo, com Xirasse a tirar um livre bem batido, mas Pinto defendeu para canto. Um minuto depois foi a vez de Mutong na grande-área tentar um remate de bicicleta mas saiu ao lado.


O Maxaquene era a equipa mais ofensiva,  com a Liga a apostar no contra-ataque. Mas numa jogada contra corrente do jogo a Liga chegou ao golo com Ambalilo a rematar para o fundo das redes de Yang, aos 35 minutos.

Domínio “tricolor” premiado com dois golos que deram a vitória

Na segunda parte o Maxaquene volta a assumir a posse de bola, mas não conseguia traduzir em situações que resultassem em golo até que aos 52 Minutos os “tricolores” ganham um pênalti, após Jervásio desviar a bola com o braço. Arlindo Silvano não duvidou e Domingos foi chamado a cobrar e empatou a partida a uma bola.

Nos festejos um jogador do Maxaquene tenta tirar a bola de Pinto, para colocá-lo no centro do relvado, mas o guarda-redes da Liga responde com um muro que deixa o jogador estatelado e a sorte do guardião que escapou à expulsão foi porque Arlindo Silvano não viu e nem tem acesso ao VAR- vídeo árbitro.

Pouco depois o treinador luso-canadense Nilton Terroso foi expulso pelo árbitro na sequência de protestos por parte do banco técnico que exigia outra atitude por parte da equipa da arbitragem após um jogador da Liga ter sido alegadamente agredido. Terroso saiu do campo após proferir  palavras e gestos pouco abonatórios dirigidas a Arlindo Silvano.


O Maxaquene continuou a procura do 2-1 que acabou aparecendo aos 88 minutos, Mutong a ganhar espaço pela direita e a entrada da grande-área tirar um remate que foi parar no fundo da baliza de Pinto que não conseguiu evitar a cambalhota no resultado.

No final nenhum elemento da equipa técnica da Liga não se dignou dirigir-se ao local aonde habitualmente os treinadores falam à comunicação social, fazendo os jornalistas pagarem uma factura que nada lhes diz respeito.

FICHA TÉCNICA 


Campo do Afrin com cerca de 4500 espectadores

Arbitragem de Arlindo Silvando, auxiliado por Teófilo Mungói e Morreira Machava. 4o Árbitro: Felisberto José Timane

Maxaquene: 24- Yang, 13- Domingos, 20- Campira, 14- Bernardo e 15- Danilo; 8- Xirasse, 17- João, 9- Victor II (35- Tomas, aos 54 minutos), 29- Selima (25-Edu, 26 minutos), 10 Mutong e 5-Djey (19-Victor, 80)

Suplentes Não Utilizados: 1- Yang, 31- Leno, e 26- Denny

Treinador: Amide Tarmamade

Liga Desportiva: 12- Pinto, 2- Jervásio,  18- Gerson, 3- Caldino, 6-Turras, 8- Mapangane, 9- Omaldo (13-Yudi, aos 59 minutos), 11- Kabine (23- Mabole, 69 minutos) 14- Ambalilo, 17- Cigano, 30- Nono (7-Raúl, 78)

Suplentes Não Utilizados: 1- Mocas, 4- Aguiar, 25- Sonito, 27 – Momas

Treinador: Nilton Terroso

Fonte: Lancemoz

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem